quinta-feira, 25 de março de 2010


Quem foi Marie Sklodowska-curie:Marie foi a irmã mais nova das cinco filhas de Bronsilawa Boguska,sua mãe (artista e professora) e Wladyslaw Sklodowski,seu pai que era professor de matemática. Desde a infância podia-se notar seus dons.Ainda jovem,aos 16 anos, ganhou uma medalha de ouro por sua conclusão da instrução secundária no Liceu Russo
Curie foi a Paris,França,(1891) e começou a assistir aulas de grandes estudiosos como Paul Appel, Gabriel Lippmann, e Edmond Bouty na Sorbonne. Encontrou-se com físicos que eram renomados- Jean Perrin e Aimé Cotton.Primeiramente licenciou-se em Ciências Físicas (1893), começou a trabalhar no laboratório de Lippmann. Em 1894 licenciou-se em Ciências Matemáticas, foi no mesmo ano que conheceu Pierre Curie.
Sua aliança (julho de 1895) marcou o inicio de uma parceria que alcançou resultados importantes para o mundo, como a descoberta do Polônio e do Radio em 1898. Depois da descoberta de Becquerel (1896) de um novo fenômeno(que chamou-se mais tarde de radioatividade), Marie Curie, procurando um tema para uma tese, decidiu pesquisar se a propriedade descoberta no Urânio seria encontrada em outra matéria. Descobriu que sua proposição era verdadeira para o Tório.
Focada em minerais, sua atenção foi redirecionada para a pech-blenda, um misterioso mineral cuja a atividade, superior àquela do urânio puro, poderia somente ser explicada pela presença no minério de quantidades pequenas de uma substância desconhecida da atividade muito elevada. Pierre Curie juntou-se a Marie então no trabalho que tinha empreendido para resolver este problema. Este trabalho os conduziu à descoberta de novos elementos, Polônio e Radio. Enquanto Pierre dedicou-se ao estudo físico das novas radiações, Marie Curie empenhou-se em obter o Radio puro conseguido com a ajuda do químico Debierne, um dos pupilos de Pierre. Como frutos destes trabalhos Maria Curie recebeu seu Doutorado em Ciências em junho 1903 e, com Pierre, foi concedido a medalha de Davy da Royal Society,premio importante na epoca. Também em 1903 compartilharam com o Becquerel o prêmio Nobel de Física pela descoberta do radioatividade.
O nascimento de suas duas filhas, Irene e Eve, em 1897 e 1904 respectivamente, não interrompeu o intenso trabalho científico de Marie. Foi nomeada professora de Física na École Normale Supérieure para meninas em Sévres (1900), onde introduziu um método do ensino baseado em demonstrações experimentais. Em dezembro 1904 foi denominada chefe assistente no laboratório dirigido por Pierre Curie.
A morte repentina de Pierre Curie (abril de 1906) era ao mesmo tempo um choque e um ponto de mudança em sua carreira:de agora em diante deveria dedicar toda suas forças para terminar o trabalhoque tinham começado. Em 13 de Maio de 1906, foi denominada para o cargo de professora que tinha sido deixado vago pela morte de seu marido; era a primeira mulher a ensinar no Sorbonne.
Em 1908 transformou-se em Professora titular, e em 1910 seu tratado fundamental de radioatividade foi publicado. Em 1911 foi concedida o prêmio Nobel de Química, pelo isolamento do Radio puro. Em 1914 viu a conclusão do edifício dos laboratórios do Instituto do Radio (Institut du Radium) na Universidade de Paris.
Durante a primeira guerra mundial, Marie Curie, com a ajuda de sua filha Irene, dedicou-se ao desenvolvimento do uso do raio X. Em 1918 o Instituto do Radio começou a funcionar completamente, o qual viria a transformar-se num centro universal para a Física e a Química nucleares. Marie Curie estava agora no auge da fama, e, em 1922, como membro da Academia da Medicina, dedicou suas pesquisas ao estudo da química de substâncias radioativas e das aplicações médicas destas substâncias.
Em 1921, acompanhada por suas duas filhas, Marie Curie fez uma viagem triunfante aos Estados Unidos. Lecionou convidada na Bélgica, no Brasil, na Espanha, e na Tchecoslováquia. Foi membro da Comissão Internacional de Cooperação Intelectual pelo Conselho da Liga das nações. Além disso, teve a satisfação de ver a Fundação Curie de Paris desenvolver e inaugurar o Instituto do Radio em Varsóvia em 1932.
Em 4 de Julho de 1934, perto de Sallanches (France), Marie Sklodowska-Curie faleceu de leucemia, como conseqüências de sua exposição ao Radio, o mesmo que a fez famosa. O reconhecimento póstumo de Marie Sklodowska-Curie, talvez o mais importante, em 1995 o governo francês transferiu suas cinzas, junto com aquelas de Pierre, ao Pantheon em Paris, fazendo lhe a única mulher a ser reconhecida desta maneira por suas próprias realizações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário